Arquivo do mês: outubro 2014

Manifesto nessa hora grave das eleições!

anarquism copy2 bandeira_brasil_jpg

Difícil decisão a de escrever esse manifesto que agora assino. Como é público e notório, sou anarquista e faz 30 anos que anulo meu voto ou simplesmente não compareço às urnas e justifico. Nunca votei no PT e nem em nenhum outro partido. No primeiro turno, estava viajando e não fui às urnas.

Mas diante das graves e extremadas manifestações que tenho observado por parte do candidato Aécio Neves, sou obrigada a me posicionar a favor de um voto de repúdio a tudo o que ele representa: nepotismo, envolvimento com a droga, posição repressora e extremista, como os projetos de redução da maioridade penal e privatização das prisões, (onde as empresas lucram com os presos, o interesse é ter o maior número de pessoas presas, que é o caso dos Estados Unidos, que possui a maior população carcerária no mundo). E como militante da Educação, não poderia deixar de repudiar um candidato que levou a Educação pública de Minas, uma das menos piores que havia no país, a uma bancarrota total, reduzindo drasticamente o salário dos professores.

Considero que a subida de Aécio à presidência do país pode representar um retrocesso em nossa democracia, um acirramento das posições de repressão e censura e a um descomprometimento total com as causas que realmente importam: as questões sociais, a Educação e a saúde.

Não defendo o PT no que ele errou (e errou muito) mas durante todos os anos do governo de Dilma, enxerguei-a como pessoa bem intencionada, que fez o que pôde, dadas as restrições do próprio sistema e as concessões que todo governante é obrigado a fazer para ascender e se manter no poder (por isso sou anarquista!) e dadas as próprias confusões do partido. Acho esse ódio à Dilma exagerado, desproporcional – pois nunca vi um ódio desses a um Sarney, por exemplo, que pertence à oligarquia que efetivamente manda no Brasil! Quando das ofensas que foram a ela dirigidas durante a Copa (embora eu não concordasse em nada com a Copa e tudo o que foi feito), senti-me ofendida como cidadã e como mulher, pois achei que não era tratamento a se dispensar a uma chefe de Estado, eleita democraticamente e aliás não é tratamento a se dispensar a nenhum ser humano.

No afã de se livrar do PT, muita gente acha que votar em Aécio é uma opção válida e sensata. Pois estou aqui afirmando publicamente minha posição de que votar em Aécio é jogar o país na via do retrocesso, do autoritarismo. Aécio é um Collor renovado. E eu me honro de ter participado nas ruas das manifestações pelo empeachment de Collor. Lamentável é ele ter sido eleito senador com tantos votos! Lamentável será se tivermos um novo Collor no poder.

Anúncios